Olá pessoal.

Recentemente falamos aqui sobre o processo de CI/CD, e agora dando continuidade ao assunto viemos mostrar como é possível usar o Azure DevOps como uma central para suas implantações.

Quando falamos especificamente do processo de implantação, facilmente nos identificamos com a imagem de arquivos e/ou pacotes sendo levados de uma lado para outro para serem implantados nos servidores.

Transportados por pendrives, através de e-mails, pastas compartilhadas em rede.

Se identificou com umas das situações?

Pois bem, é mais comum do que podemos imaginar a realização de deploy de aplicações sem nenhum tipo de processo definido, ou preocupação com integração e segurança dos pacotes.

Cada profissional utiliza a maneira que entende ser mais prática para a situação, uns usam ferramentas de Ftp para publicação de pacotes em sites, outros carregam os arquivos diretamente via browser, outros ainda vão ao servidor do site ou da aplicação e simplesmente fazem um copy e paste de arquivos através de um pendrive.

Por que é preciso criar uma central para essas implantações?

Aos poucos, com a evolução das soluções e ferramentas, as possibilidades vão se multiplicando.

Sempre de uma forma onde os profissionais de infraestrutura precisem utilizar um mecanismo para cada tipo de ambiente, criar diversos scripts ou mesmo fazer uma mescla de todas essas possibilidades.

Tudo de forma descentralizada, sem rastreabilidade e sem controle.

Como podemos resolver essa questão?

A solução é a estruturação de processos, integração de ferramentas, desenvolvimento de procedimentos de controle e rastreabilidade.

Além, é claro da inclusão da preocupação com politicas de segurança e compliance.

Ou simplesmente utilizamos o Azure DevOps!

Por que usar o Azure DevOps?

O Azure DevOps para quem não conhece é uma ferramenta desenvolvida pela Microsoft, sucessor do Tfs e que tem como grande atrativo a possibilidade de trabalhar como um agregador de recursos.

Temos numa ferramenta só:

  • Gestão de Tarefas – Azure Boards
  • Gestão de Código Fonte – Azure Repos
  • Pipelines de build e deploy – Azure Pipelines
  • Gestão de dependências – Azure Artifacts

Porém, não se limita a utilização apenas de seus próprios recursos, pois temos muitos e muitos pacotes de extensão, permitindo a conexão do Azure DevOps com diferentes outras ferramentas de gestão de tarefas, de código fonte, de pipelines e principalmente com os mais variados tipos de infraestrutura para deploy.

Através de features internas, ou de pacotes acoplados a ferramenta é possível realizar implementações em:

  • Servidores de Ftp
  • Serviços de App Service em Player como AWS, Microsoft Azure
  • Servidores em Infraestruturas Locais
  • Servidores em Infraestrutura Cloud
  • Serviços de Banco de Dados
  • Serviços de Orquestração de Containers
  • Entre outros

Resumindo…

Através da utilização do Azure DevOps não é possível apenas centralizar suas implantações, como também fazer toda a rastreabilidade, cuidando da segurança, pensando no compliance e ainda trabalhando com a segregação de função dentro da sua organização, garantindo a integridade e lisura do processo de implantação, tudo isso sendo executado de forma rápida e prática.
Para saber mais detalhes, assista o vídeo que publicamos no canal da Konia no You Tube

Nos próximos posts faremos alguns exemplos de possibilidade de implantações com Azure DevOps.

É isso ai pessoal!

Espero te ajudar.

Abraço e até a próxima.